Podemos adorar imagens?
exodo cap 20 vers 2 Eu sou o SENHOR teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.
3 Não terás outros deuses diante de mim.
4 Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da

terra.
5 Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a

terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.
6 E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos.

a biblia fala por si só,é mandamento de Deus,escrito pelo dedo de Deus. exodo cap 31 vers 18 E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no

monte Sinai) as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.

e onde se encontra essas tabuas de pedra hoje? 1 reis cap 8 vers 9 Na arca nada havia, senão só as duas tábuas de pedra, que Moisés ali pusera

junto a Horebe, quando o SENHOR fez a aliança com os filhos de Israel, saindo eles da terra do Egito.

2 cronicas cap 5 vers 10 Na arca não havia coisa alguma senão as duas tábuas, que Moisés tinha posto em Horebe, quando o SENHOR fez aliança com

os filhos de Israel, saindo eles do Egito.

as tabuas ficavam dentro da arca da aliança, o qual era sagrada a ponto de que ninguém podia tocar.

1 cronicas cap 13 vers 9 E, chegando à eira de Quidom, estendeu Uzá a sua mão, para segurar a arca, porque os bois tropeçavam.
10 Então se acendeu a ira do SENHOR contra Uzá, e o feriu, por ter estendido a sua mão à arca; e morreu ali perante Deus.

os mandamentos de Deus nunca foi abolido e nunca será,foi escrito pelo dedo de Deus, a arca da aliança simboliçava a presença de Deus,e ela

ficava no santo dos santos onde apenas o sumo sacerdote uma vez ao ano entrava para aspergir o sangue do cordeiro(simbolizando cristo) sobre a

arca da aliança,e feito isso uma vez por ano,ele saia imediatamente do lugar.

podemos dizer que o santo dos santos,era o esconderijo do altissimo,lugar de intima comunhão com Deus,salmo 90 vers 1

estou explicando um pouco sobre isso,para vc entender como é serio a obediancia aos mandamento de Deus,essa tabua dos mandamentos ficava dentro

da arca da aliança,e onde se encontra hoje a arca da aliança? nos céus no templo de Deus,apocalipse cap 11 vers 18 E iraram-se as nações, e

veio a tua ira, e o tempo dos mortos, para que sejam julgados, e o tempo de dares o galardão aos profetas, teus servos, e aos santos, e aos que

temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra.
19 E abriu-se no céu o templo de Deus, e a arca da sua aliança foi vista no seu templo; e houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e terremotos e

grande saraiva.

um dia muitos se lamantarão,ao verem ,pois a ira do senhor virá sobre todos aqueles que não obedeceram seus mandamentos,e um desses mandamentos

é não adorar imagem alguma,não se curvar para nenhuma delas!

não há espirito em nenhuma delas,é o que diz a biblia,jeremias cap 10 vers 14 Todo o homem é embrutecido no seu conhecimento; envergonha-se

todo o fundidor da sua imagem de escultura; porque sua imagem fundida é mentira, e nelas não há espírito.
15 Vaidade são, obra de enganos: no tempo da sua visitação virão a perecer.

jeremias cap 51 vers 17 Embrutecido é todo o homem, no seu conhecimento; envergonha-se todo o artífice da imagem de escultura; porque a sua

imagem de fundição é mentira, e nelas não há espírito.
18 Vaidade são, obra de enganos; no tempo da sua visitação perecerão.

estão te enganando, para vc que não quer se enganado,quer realmente servir a Deus, sai dela ou será particpante de seus fragelos.

apocalipse cap 18 vers 4 E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados

Quinta-feira, Fevereiro 16, 2012

“Estou indo ver Jesus… Quero ver Jesus”, diz Whitney Houston aos seus amigos


Alguns amigos da cantora Whitney Houston, contou a revista TMZ, que ela teve uma premonição de que logo morreria, ressaltando que ela “realmente queria ver Jesus”, e que um dia antes de sua morte, ela afirmou que tinha “a sensação de que o fim estava perto dela“.
 



De acordo com a revista, em seus últimos dia Whitney estava muito espiritual, citando a Bíblia, cantando hinos e participando de conversas intensas sobre Jesus Cristo e sobre a vida com seus amigos íntimos e familiares.
 
Na sexta-feira da semana passada, antes de sua morte, Whitney cantou: “Yes Jesus Loves Me” (Sim Jesus me ama) no clube noturno Tru em Hollywood, ela disse a um de seus amigos: “Estou indo ver Jesus… Eu quero ver Jesus. “
 
No dia seguinte, horas antes de sua morte, Whitney estava discutindo uma passagem da Bíblia envolvendo João Batista e Jesus… quando Houston abriu um grande sorriso e comentou: “Você sabe, ele é tão legal … Eu realmente quero ver Jesus.”
 
Outra fonte disse ao TMZ que Whitney tinha comentado aos seus amigos que “sentia que seu tempo estava chegando”… e que ela queria ter a certeza de dedicar louvor ao seu Senhor e Salvador, sempre que podia. Infelizmente a premonição de Whitney se tornou realidade.
 
De acordo com seus amigos, as passagens da Bíblia que ela estava meditando na manhã de sua morte era em Mateus 3:13 a 17, que faz referência ao batismo de Jesus.
 
Fonte: Portal Padom

Whitney Houston teria se reconciliado com Deus horas antes de morrer

 
Filha de pastor, Whitney Houston cantou louvor "Jesus loves me" em público
 
Morreu ontem Whitney Houston, afogada na banheira de um hotel de Los Angeles. Imediatamente a notícia repercutiu no mundo todo, fãs acenderam velas e deixaram flores e mensagens na porta do hotel.

Na igreja onde o pai de Houston foi pastor e ela cantou no coral quando criança, em Newark, New Jersey, foram colocados balões com a forma de corações, velas, flores e mensagens escritas de admiração. Em meio às notícias de sua morte, uma delas dá conta que a trajetória da cantora e atriz estava prestes a ser retomada.
 
Antes de falecer aos 48 anos, Whitney tinha terminado de gravar o filme “Sparkle” [Faísca], que conta a história de um trio musical e seus problemas com fama e do consumo de drogas.
 
Trata-se de uma nova versão do filme de mesmo nome lançado em 1976, que seria baseado na história do famoso grupo de soul americano The Supremes. As três irmãs do grupo tiveram esse mesmo tipo de dificuldades em sua carreira na década de 1950. A nova versão será lançada em agosto.  Houston também era uma das produtoras do filme, cujos direitos de refilmagem ela adquiriu cerca de 12 anos atrás.
 
Em Sparkle, Whitney interpreta Emma, mãe das irmãs protagonistas.  O produtor do longa é o bispo T.D. Jakes, da megaigreja Potter’s House. Embora a temática do filme não seja francamente cristã, ele apresenta elementos espirituais. O bispo Jakes disse ter se assegurado que na nova versão fossem eliminados os palavrões e as cenas de sexo do original, preferindo concentrar-se na força da história de superação.
 
Após a notícia da morte de sua amiga Whitney, ele fez a seguinte declaração: “Estamos profundamente entristecidos com o falecimento trágico e prematuro de Whitney Houston. Recentemente fomos abençoados em trabalhar com ela na refilmagem de Sparkle. Nós pedimos que todos juntem-se a nós em orações pela família de Whitney e peçam que Deus dê-lhes força e os console para enfrentar esses momentos devastadores. No ápice de sua carreira, Whitney foi incomparável, sua voz que moldou toda uma geração. Ela deixou para trás um legado na música e no cinema …. ela fará muita falta a todos nós. ”
 
O bispo Jakes disse que recentemente orou com Whitney e que ela, que é filha de pastor, vinha se reaproximando da fé de sua infância. Tanto que a última imagem dela viva é a interpretação do hino “Jesus loves me” [Jesus me ama] durante os ensaios do prêmio Grammy deste ano, onde ela faria uma participação.
 
“Sparkle” é o quarto filme na carreira de Houston, depois de “O Guarda-costas”, “Falando de Amor” e “Um anjo em minha vida”. Na nova produção, ela canta duas músicas, sendo que uma delas é o conhecido hino evangélico “His Eyes are on the Sparrow”, que tem uma versão para o português chamada “Deus cuida de mim” A canção inédita fará parte da trilha sonora no CD lançado junto com o filme.
 
Assista:
 
 
Com informações National Post, Examiner e Urban Christian News
Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br

 

blog

 

O Que a Bíblia Tem a Dizer Sobre Marcar Datas Proféticas?

O que Jesus ensinou sobre marcar datas?

Nosso Senhor foi bem enfático ao ensinar sobre Sua volta. Em pelo menos cinco passagens (sete, se forem incluídas passagens paralelas), Jesus advertiu os discípulos e crentes contra marcar datas. Mas, como já vimos, em toda a história da Igreja houve uma quantidade incrível de especulações relativas a datas.

Jesus enfatizou a profecia e o entendimento dela nos Seus ensinamentos. Ele não evitou nem descartou sua relevância; fez exatamente o oposto. Ele enfatizou a importância da profecia para entendermos Sua vida e Seu ministério. Mas também explicou que há alguns aspectos do futuro que não podem ser conhecidos com precisão. Sua volta é certa, mas o momento exato não. Jesus entendia a vontade humana de conhecer o futuro, mas não permitiu que Seus seguidores caíssem nas tentações dos videntes:

  • Mateus 24.36: “Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai” (Marcos 13.32 é uma passagem paralela idêntica).
  • Mateus 24.42: “Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor”.
  • Mateus 24.44: “Por isso ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá”.
  • Mateus 25.13: “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora”. (Marcos 13.33-37 é uma passagem paralela.)
  • Atos 1.7: “Respondeu-lhes: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela sua exclusiva autoridade”.

Essas passagens são proibições absolutas de marcar datas. Alguns estudiosos de profecia disseram que estes versículos ensinam que era impossível saber a data na igreja primitiva, mas que nos últimos dias algumas pessoas saberão. Outros estudiosos disseram que estes versículos ensinam que ninguém sabe o dia nem a hora, exceto aqueles que forem capazes de descobri-los usando algum esquema cronológico. Ambos estão absolutamente errados! A data da volta de Cristo é uma questão de revelação de Deus. Ele decidiu não revelar isso nem para Cristo durante Sua humanidade em Sua primeira vinda (Mateus 24.36). Se o Pai não o revelou ao Filho na Sua humanidade, por que alguém pode crer que o Pai lhe revelaria isso? Jesus deixa bem claro: “Não!”

O que mais a Bíblia ensina sobre profecias?

O ensinamento de Cristo é reforçado também em outras partes das Escrituras. Em 1 Tessalonicenses 5.1-2, Paulo reafirma as palavras de Jesus com relação à incerteza da hora da Sua volta: “Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu vos escreva; pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o dia do Senhor vem como ladrão de noite.”

Por isso ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá.

Algumas pessoas acreditam que há passagens na Bíblia que ensinam que os crentes poderão saber a data da volta de Cristo. Examinaremos algumas dessas passagens para mostrar como aqueles que defendem a marcação de datas usaram os vários versículos de forma errada em suas tentativas de conseguir legitimidade para suas posições. A Bíblia não contém contradições internas. É errado pensar que as Escrituras dizem que “ninguém pode saber”, mas também afirmam que algumas pessoas conseguirão descobrir.

A primeira passagem ocasionalmente citada é Lucas 21.28: “Ora, ao começarem estas cousas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima.” Algumas pessoas ensinaram que essa passagem implica uma permissão para marcar datas. Mas indicadores contextuais importantes são esquecidos em tal argumento. Estes indicadores incluem o fato de que a passagem se refere aos crentes judeus durante a futura tribulação de sete anos, que, logo antes da segunda vinda de Cristo, devem vigiar, não marcar datas, enquanto passam pelo período final de severa perseguição. Isso não está relacionado a marcar datas durante a atual era da Igreja, já que está relacionado a eventos durante a tribulação de sete anos. Quando a tribulação começar, será possível saber a hora da vinda de Cristo. Mas, isso não tem nada a ver com os crentes hoje que estão vivendo durante a era da Igreja (não na tribulação). A era da Igreja termina com o arrebatamento, que é um evento sem sinais. Então não há maneira de ligar, especificamente, eventos da nossa época com os da tribulação para marcar uma data. Devemos vigiar e esperar a volta do nosso Senhor no arrebatamento justamente porque não podemos marcar datas.

Uma segunda passagem citada algumas vezes é Hebreus 10.25b: “antes, façamos admoestações, e tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima.” Alguns ensinam que isso implica que os crentes podem ver ou saber que “o dia” (a segunda vinda) está se aproximando. Enquanto alguns interpretam “o dia” como uma referência à segunda vinda, achamos que o contexto imediato e o contexto do livro de Hebreus indicam uma advertência aos crentes judeus antes da destruição de Jerusalém e do templo em 70 d.C. Trata-se de uma advertência para não voltarem para o judaísmo (i.e., apostatarem) já que o futuro próximo continha apenas castigo para os judeus que rejeitaram Jesus como seu Messias. Então “o dia” não é uma referência à segunda vinda mas sim à destruição de Jerusalém pelos romanos em 70 d.C. Se essa passagem realmente se refere à segunda vinda, uma vez mais, não haveria base para ligar um fator específico que sirva para marcar a data da segunda vinda. A afirmação geral “tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima” não quer dizer que saberemos especificamente quando Ele vem, assim como alguém que vê a chegada de uma tempestade e não sabe a hora exata em que vai chover no lugar onde está.

Quando a tribulação começar, será possível saber a hora da vinda de Cristo. Mas, isso não tem nada a ver com os crentes hoje que estão vivendo durante a era da Igreja.

Uma terceira passagem que às vezes é mencionada é 1 Tessalonicenses 5.4: “Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que este dia, como ladrão, vos apanhe de surpresa.” Ensinava-se, com base nessa passagem, que os crentes saberiam a data “do dia” [i.e., “o dia do Senhor” (veja 1 Tessalonicenses 5.2)] para não serem pegos de surpresa. Mas esta interpretação atribui o sentido errado ao ensinamento de Paulo. Paulo está dizendo que os tessalonicenses não serão surpreendidos porque estão preparados pelo fato de serem crentes. O Senhor cuidará de todos os crentes (acreditamos que através do arrebatamento pré-tribulacional), de forma que, ao contrário do descrente que estará despreparado e será pego de surpresa, o crente estará preparado.

Que perigo existe em estudar profecias e marcar datas?

Não há perigo em estudar profecias. Na verdade, não podemos ignorar as profecias e o estudo correto da Bíblia, mas não podemos cair na armadilha de marcar datas. A Bíblia ensina claramente que a Palavra de Deus é suficiente para tudo o que precisamos a fim de vivermos uma vida que agrade a Cristo (2 Timóteo 3.16,17; 2 Pedro 1.3,4). Isso significa que se algo não é revelado a nós na Bíblia, não é necessário para cumprir o plano de Deus em nossas vidas. A data da volta de Cristo não é dada na Bíblia, então, apesar do que algumas pessoas possam dizer, não é importante conhecê-la para agradar a Deus. O Senhor disse a Israel: “As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus; porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei” (Deuteronômio 29.29). A data da vinda de Cristo não foi revelada; é um segredo que pertence somente a Deus.

Já que a Bíblia proíbe marcar datas, o que ensina? Muitas das mesmas passagens que proíbem marcar datas nos instruem sobre o que fazer até que o Senhor volte. Por exemplo, Mateus 24.42 não só adverte: “porque não sabeis em que dia vem o nosso Senhor”, mas também exorta os crentes a “vigiar”. Mateus 24.44 manda os crentes “ficarem apercebidos” porque “à hora em que não cuidais, o Filho do homem virá.” E também Mateus 25.13 nos exorta a vigiar “porque não sabeis o dia nem a hora.”

O alerta ao qual os crentes são chamados não é de marcar datas, mas de esperar o Salvador (já que não sabemos quando Jesus voltará). Devemos ficar alertas, ao contrário dos descrentes que ficam dormindo, em relação às coisas de Deus. Devemos ficar alertas a fim de vivermos piedosamente até o Senhor voltar porque estamos na noite escura desta era maligna, que exige uma vigilância ativa contra o mal.

O alerta ao qual os crentes são chamados não é de marcar datas, mas de esperar o Salvador.

Se a Igreja soubesse o dia ou a hora do arrebatamento, a iminência, a posição que os crentes pré-tribulacionistas têm em relação ao arrebatamento, seria destruída. A iminência bíblica ensina que Cristo pode, mas não precisa, vir a qualquer momento. Isso também significa que não há sinais que precisam ser cumpridos para o arrebatamento acontecer. Então, Cristo poderia literalmente vir hoje ou neste exato momento ou instante. Todas as tentativas de marcar datas destróem essa iminência. Se alguém ensinasse que o arrebatamento aconteceria num dia, mês, ou ano específico, então isso significaria que Cristo não poderia vir antes dessa data. E, assim, o arrebatamento não poderia ser iminente, já que Cristo não viria até essa data específica. A iminência é importante porque geralmente está relacionada a mandamentos de vida santa. Por isso, marcar datas também tem um impacto negativo na ética.

Ao mesmo tempo que marcar datas é claramente proibido na Palavra de Deus, acreditamos que é válido entender que Deus está preparando o cenário para Seu grande programa do fim dos tempos. O que isso significa? Como mencionamos anteriormente, o arrebatamento é um evento sem sinais, então é impossível identificar sinais específicos que indiquem sua proximidade. É por isso que todas as tentativas de datar o arrebatamento aplicaram erroneamente à Igreja passagens relacionadas ao plano de Deus para Israel. Um exemplo deste erro seria dizer que as festas de Israel (i.e., Rosh Hashanah) estão relacionados com a marcação da data do arrebatamento como observado acima. Mas, já que a Bíblia descreve os participantes, os eventos, e as nações envolvidas na tribulação final, podemos ver a preparação de Deus para os últimos sete anos das setenta semanas de Daniel para Israel.

Por exemplo, o fato de que Israel foi restabelecido como nação e agora controla Jerusalém é uma indicação forte de que a era da Igreja está chegando ao fim (Isaías 11.11-12.6; Ezequiel 20.33-44; 22.17-22; Sofonias 2.1-3). Mas isso só pode ser uma indicação geral, já que nenhum cronograma é dado especificamente para a atual preparação do cenário. Não podemos saber com certeza que somos a última geração antes do arrebatamento porque Deus pode resolver “preparar o cenário” durante os próximos 100 anos ou mais. O Dr. Walvoord diz corretamente:

Não há base bíblica para marcar datas para a volta do Senhor nem para o fim do mundo... Os intérpretes estão percebendo cada vez mais uma correspondência surpreendente entre a tendência óbvia dos eventos mundiais e o que a Bíblia previu séculos atrás.[1]

Jesus Cristo voltará! É nossa responsabilidade estar preparados para essa volta e para proclamar a salvação que Ele oferece, a fim de que outros também estejam preparados. (Thomas Ice e Timothy Demy - http://www.chamada.com.br)

Notas

Um pouco sobre Jeremy Camp



Muitas vezes quando vemos os artistas de nossa geração pensamos que eles levam uma vida fácil e sem problemas. Isso geralmente acontece porque apenas o conhecemos pela música que eles cantam ou pelo que a mídia nos oferece. Assim, esquecemos de levar em consideração que eles são tão humanos quanto nós e passam por problemas que muitas vezes abalam a fé.

A história de Jeremy Camp nos mostra que Deus está sempre presente, mesmo nos momentos mais difíceis.

Antes de lançar seu primeiro álbum Jeremy Camp já fazia parte do Ministério de Louvor de sua faculdade (Escola Bíblica do Sul da Califórnia). Durante este período de sua vida, ele liderava o louvor em diferentes igrejas e reuniões de jovens que aconteciam ao redor da Califórnia. Foi em uma dessas reuniões que ele conheceu Melissa. Ele se lembra: “Eu estava em admiração desta mulher que claramente amava a Deus.” Logo os dois se encontraram e começaram a namorar. Mas o que parecia um conto de fadas ou uma história que você provavelmente já ouviu em igrejas, se tornou em uma prova de fé que levaria Camp a passar a maioria de seu tempo sentando ao lado de uma cama de hospital. Melissa, já havia dito a Camp que eles deveriam terminar o namoro por que alguma coisa estava para acontecer. No fundo ela já sabia que sua vida mudaria completamente. Apenas seis meses depois que Jeremy e Melissa estavam juntos, ela foi obteve um diagnóstico de câncer. Dali em diante a vida de Camp passou a ser de muita oração para que Melissa pudesse se recuperar.

Durante uma noite no hospital Melissa contou a Jeremy que ela não estava com medo de morrer, mas que gostaria que, através de sua morte, pelo menos uma pessoa pudesse vir a conhecer a Cristo. Mesmo que isso tivesse um impacto muito grande em sua vida, não era exatamente o que Camp queria ouvir naquele momento.

Dirigindo para longe do hospital, Jeremy Camp fez uma promessa um pouco estranha a Deus, dizendo: "Se Você quiser que eu me case com ela, então eu o farei”. Cinco meses depois, a saúde de Melissa havia melhorado um pouco, ela e Camp se encontraram em frente ao altar.

A história de Jeremy Camp seria uma história maravilhosa se acabasse aqui, mas Deus tinha muito mais reservado a ele. Enquanto Melissa e Camp estavam na lua de mel, o câncer começou a voltar e assim que eles haviam retornado para casa, eles descobriram que Melissa teria apenas alguns meses de vida. Durante os próximos meses Camp passou muito tempo no quarto do hospital. Ele fazia o que sabia de melhor: tocava músicas para Melissa. Durante este período Camp descobriu que a música não era mais tão importante para ele, mas sim o que ele poderia fazer com aquela música. Ele disse: “Música não é a minha vida, Cristo é a minha vida… A única coisa que realmente importa é o que fazemos para Cristo enquanto estamos aqui na terra”. E essa é a perspectiva que brilha em toda canção que ele escreve.

Em quanto estava em sua lua de mel, Camp havia escrito uma canção que se encontra em seu primeiro CD, “Walk By Faith”, que diz, “Eu acreditarei quando Você disser, sua mão me guiará por todo o caminho... Oh, eu andarei pela fé, mesmo quando eu não puder ver…” e logo depois da morte de Melissa Camp escreveu outra canção que virou número 1 nas radios americanas, “I Still Believe” (Eu Ainda Acredito). A canção fala sobre os problemas que ele enfrentou e que mesmo diante da morte de sua esposa ele acreditou em Deus, que Ele tinha um plano maior.

O desejo de Melissa foi realizado quando o álbum de Jeremy Camp saiu nas lojas, e quando ele saiu para a turnê. Durante suas viagens, Camp teve a oportunidade de compartilhar a sua história com muitas outras pessoas que estavam passando por dificuldades similares a dele. A morte de Melissa e o testemunho de Camp levaram muitas outras pessoas a conhecerem a Cristo.

Hoje ele é casado com Adrienne Leisching (ex-lider da banda Benjamin Gate). E tem uma filha com ela. Todos os álbuns chegaram a número um nas rádios americanas e até hoje Camp ainda conta sua história e como Deus permaneceu fiel a ele.
"Porque Ele vive, posso crer no amanhã".

site:
http://www.gospelmais.com.br

Mãe de Justin Bieber pede oração pelo filho para que ele “mantenha os olhos em Jesus”

 

O objetivo deste ministério é orar para que as pessoas envolvidas nas produções sejam transformadas
Mãe de Justin Bieber pede oração pelo filho para que ele “mantenha os olhos em Jesus”
A mãe de Justin Bieber pediu oração pelo seu filho no site do ministério Hollywood Prayer Network (Rede de Oração Para Hollywood) ela pede para que Deus proteja seu filho contra o mal da cultura de Hollywood.
O ministério Hollywood Prayer Network foi criado há 10 anos com o objetivo de orar pelas pessoas que trabalham em toda a indústria de entretenimento de Hollywood.
O pedido da mãe de Justin diz: “Justin tem 17 anos e se tornou um fenômeno global, ainda não entende que a celebridade pode ser mais uma maldição do que uma bênção. Sua mãe pediu para que nós oremos por ambos, para manter seus olhos em Jesus, para tomar decisões sábias e não ser arrastado pela mentalidade perigosa que a fama e a celebridade trazem às pessoas”.
De acordo com a fundadora do site Rede de Oração para Hollywood,  Karen Covell, “tem sido uma batalha espiritual incrível quando se trata de celebridades. Entendemos quão sério é para os jovens que se deparam com as armadilhas das celebridades. Pedimos a Deus para ajudar Justin e outros a manobrarem o poder da celebridade que pode confundir suas mentes ou afastá-los do que é certo.” Covell também diz que muitos cristãos no lugar de orar, se unem para protestar contra Hollywood. “Nos EUA, enquanto Washington é a sede mundial do poder, Hollywood é a sede global da influência. Mas ao invés de reunir em oração, como muitos têm feito por Washington, os Cristãos têm frequentemente se reunido para protestar contra Hollywood.”
Ela acredita que o poder da oração pode mudar o coração das pessoas e assim mudar o conteúdo da indústria de entretenimento, como filmes, música, teatro e etc.
“Devemos amar os nossos semelhantes em nossa indústria e pedir a Deus para tocá-los e movê-los, para que se humilhem diante dele, e para mudar a nós de maneira que nossos corações se aquebrantem por eles. Assim então veremos vidas mudarem.”
Fonte: Gospel Prime

Profecia maia sobre fim do mundo aumenta número de seitas apocalípticas na França

Relatório da Miviludes pede para o governo ficar atento diante desse crescimento

Profecia maia sobre fim do mundo aumenta número de seitas apocalípticas na França

Um relatório divulgado na França recomenda maior vigilância por parte das autoridades públicas diante do surgimento de seitas apocalípticas baseadas na profecia maia que prevê o fim do mundo para o dia 21 de dezembro de 2012.

O documento anual da Missão Interministerial de Luta contra as Seitas (Miviludes) foi entregue nesta quarta-feira, 15, ao governo francês  e diz que os poderes públicos devem “aumentar a vigilância” contra “atos extremos” que podem ser cometidos pelos cidadãos conduzidos por esses discursos milenaristas.

O relatório aponta que, no ano passado, foram registrados 2,5 milhões de sites referentes ao fim do mundo em dezembro de 2012.  Essa data marca o final do calendário maia e também representa a 183ª já anunciada como dia do fim do mundo desde a queda do Império Romano.

O que tem gerado o aumento dessas seitas é a proliferação das novas tecnologias que está promovendo “uma ressonância amplificada” para a profecia de 2012. Somado a isso temos a crise econômica mundial e as catástrofes naturais que dão aos cidadãos “uma razão extra para crer no fim do mundo”.

As seitas que se baseiam em previsões apocalípticas são “mais alienantes e mais manipuladoras que as outras” e suas estruturas são “mais histéricas e fanáticas”, acrescenta o estudo.

Em 1995, houve um suicídio coletivo na França onde 16 membros da seita da Ordem do Templo Solar na colina de Isère, perto da fronteira franco-suíça, que se atearam fogo.

A Miviludes mantém atenção especial sobre a localidade de Bugarach, uma pequena comuna do sudeste da França situada junto a um penhasco considerado por diversas profecias que circulam pela internet como o único lugar que se salvará do apocalipse de dezembro de 2012.

O povoado, de menos de 200 habitantes, viveu nos últimos meses uma explosão da demanda imobiliária. Além disso, proliferam os pedidos de reservas de quartos para essa data na localidade, disse em entrevista ao jornal Le Figaro o prefeito da comuna, Jean-Pierre Delord.

Fonte: Gospel Prime

 

"A Verdade vos Libertará"

(João 8:32)

O conceito da "verdade" vem desafiando a humanidade por milhares de anos. Filósofos da antiga Grécia debatiam a natureza da verdade. Eles discutiam se ela era real e absoluta, ou relativa e ilusória. Suas dúvidas podem ter sido refletidas numa questão de Pilatos: "Que é a verdade?" (João 18:38).

Hoje, a mesma pergunta surge continuamente em várias situações. É de vital importância que achamos a resposta para esta pergunta na área de religião. O que é verdadeiro? Posso conhecer a verdade?

Para ajudar-nos a responder a estas questões, vamos focalizar nossa atenção em um versículo do ensinamento de Jesus. Em João 8:32, ele disse: "E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará ." Considere as implicações desta afirmação.

"A Verdade"

Os humanos podem andar em dúvida e incerteza, mas Jesus é inequívoco. Ele fala sobre a verdade como algo exato e objetivo. Em outra parte ele nos fala que a verdade é a palavra de Deus revelada. Quando ele falou com seu Pai (João 17:17), ele disse: "tua palavra é a verdade". Quando Jesus falou sobre a verdade, ele não estava falando sobre uma vaga abstração resultante de um intenso pensamento humano, meditação, lógica ou de um debate. Ele não definiu a verdade em termos subjetivos como uma coisa qualquer que as pessoas escolheriam acreditar. Jesus definiu a verdade como um fato revelado e eterno! A palavra de Deus é verdadeira independentemente do fato de eu concordar com isso, de eu aceitar e obedecer, ou rejeitar e contestar.

Outros que escreveram o Novo Testamento fizeram similares afirmações sobre a palavra de Deus, achada nas Escrituras. Em 2 Timóteo 3:16-17, Paulo disse: "Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra." Paulo também disse que seu ensinamento não tinha palavras de sabedoria humana, e sim palavras reveladas pelo Espírito Santo (veja 1 Coríntios 2:9-13).

Deus revelou a verdade como certa e absoluta. Deus não nos deu meramente idéias subjetivas para serem moldadas de modo a se ajustarem às nossas situações. Ele não aprova distorções ou modificações das Escrituras para que se ajustem aos nossos caprichos. Deus certamente não nos deixou num mar de dúvidas onde nada podemos saber com certeza.

Devemos escolher como responder a esta revelação de Deus. Nós podemos obedecê-la ou rejeitá-la. Temos a liberdade de aceitar tudo o que Deus disse, ou somente as partes que nos interessam. Mas quando decidirmos como responder a ela, devemos lembrar de que nada o que fizermos irá mudar a veracidade de suas palavras. Aproximadamente três mil anos atrás o escritor de Salmos disse: "Para sempre, ó Senhor, está firmada a tua palavra no céu" (Salmo 119:89).

"Conhecereis. . ."

Jesus não mostra a "verdade" como um objetivo ilusório e inatingível. Ele diz: "Conhecereis a verdade". Jesus plenamente ensinou que podemos e devemos conhecer a verdade. Podemos conhecer a verdade hoje do mesmo jeito que o povo de Beréia o fez no primeiro século: Eles procuraram por ela nas Escrituras (veja Atos 17:11). Podemos distinguir o certo do errado. Paulo instruiu os Tessalonicenses: "Julgai todas as cousas, retende o que é bom; abstende-vos de toda forma de mal" (1 Tessalonicenses 5:21-22). Ainda hoje é verdade que a "lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos" (Salmo 119:105).

As pessoas que escreveram o Novo Testamento confidentemente declaram que é possível saber a verdade. Em Hebreus 10:26, o escritor fala das pessoas que tinham "recebido o pleno conhecimento da verdade". João falou com pessoas que receberam este conhecimento da verdade (1 João 2:21). Paulo condenou aqueles que estão "sempre aprendendo mas que jamais podem chegar ao conhecimento da verdade" (2 Timóteo 3:7). Por que receberam tão severa crítica? Porque eles fracassaram em aprender a verdade, resistindo assim a palavra de Deus. Eles não compreenderam a verdade porque assim não a quiseram (veja 2 Timóteo 3:8). Nós podemos saber a verdade.

". . . Vos Libertará"

Isto pode nos fazer pensar, talvez até um ponto de medo, sobre a responsabilidade dada por Deus de conhecermos a verdade. Para prevenir que sejamos esmagados por esta provocante passagem, não devemos perder esta grande promessa anexada neste trecho. Jesus acrescentou: "A verdade vos libertará".

A liberdade é valorizada universalmente. Inúmeras pessoas têm sacrificado suas vidas esforçando-se para assegurarem sua própria liberdade política ou de outrem também. Verdadeiramente em todas as nações do mundo, o encarceramento é considerado como uma severa punição para aqueles que violam a lei. Tão valiosa quanto a liberdade pessoal e política, também é aquela que Jesus nos fala em João 8:32. Só que esta liberdade é até mais significativa. Nossos pecados nos levam a conseqüências de vínculos espirituais e mortais -- eterna separação de Deus. Jesus se ofereceu para nos libertar das conseqüências da nossa própria rebelião contra Deus!

Paulo nos lembrou deste benefício do evangelho em Romanos 1:16 ". . .é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego". Deus escolheu o uso de sua palavra, que é a verdadeira mensagem da Bíblia, para salvar-nos de nossos pecados.

Deus, contudo, não nos força a sermos libertos. Muitas pessoas são enganadas por Satanás e seus falsos mestres para que não possam discernir a liberdade do encarceramento (veja 2 Pedro 2:17-22). Infelizmente, muitas pessoas rejeitam a liberdade que Deus oferece e permanecem presas em seus próprios pecados. Jesus usou as palavras de um profeta do Velho Testamento, Isaías, para descrever a triste condição daqueles que não aceitam a liberdade divina: "Porque o coração deste povo está  endurecido, de mau grado ouviram com os ouvidos e fecharam os olhos; para não suceder que vejam com os olhos, ouçam com os ouvidos, entendam com o coração, se convertam e sejam por mim curados" (Mateus 13:15).

Muitas pessoas consideram a verdade incerta, mas Deus claramente revelou a verdade para que nós possamos conhecê-la. Muitas pessoas acreditam que os sentimentos subjetivos, aqueles que julgamos serem corretos, são os mesmos que os salvarão, mas Deus uniu a salvação com a sua objetiva verdade. Quando nós aprendemos e obedecemos a verdade revelada na palavra de Deus, podemos estar certos da nossa salvação. João nos falou do nosso relacionamento com Deus quando ele disse: "Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está  a verdade" (1 João 2:3-4).

Deus nos providenciou a confiança e a segurança para estarmos aptos a conhecer a verdade. O mesmo Deus que nos criou e nos deu a habilidade de nos comunicar, tem também a habilidade de transmitir sua vontade para conosco de modo que possamos entendê-la. Devemos humildemente aceitar a responsabilidade de estudar, entender e obedecer sua revelação.

Num mundo desordenado pela dúvida e pela confusão religiosa, nós podemos achar esperança nas palavras de Jesus: "E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará."

- por Dennis Allan

 

 

Bebida 

Consumo excessivo de álcool danifica memória de jovens Portal do Consumidor Pesquisadores espanhóis descobriram que uma bebedeira pode destruir a memória de longo prazo de jovens adultos. A informação foi publicada nesta terça-feira (17) no site do jornal britânico "The Telegraph". Eles acreditam que o consumo abusivo de álcool torna mais difícil a construção de novas memórias, pois o hipocampo --uma área no centro do cérebro que desempenha papel-chave na aprendizagem e memória-- é muito suscetível aos seus efeitos tóxicos. A descoberta é preocupante, pois a embriaguez é um problema crescente no Reino Unido e em outros países europeus, particularmente em jovens e universitários. O estudo com universitários descobriu que o consumo excessivo de álcool afeta a memória declarativa --uma forma de memória de longo prazo. Os estudantes mostraram uma redução na capacidade de aprender novas informações que lhes são transmitidas verbalmente. Em uma escala, eles obtiveram as menores pontuações em dois testes para saber quanto conhecimento eles retiveram e recolheram. Segundo a pesquisadora Maria Parada, da Universidade de Santiago de Compostela, "em países do norte europeu, há uma forte tradição de consumo esporádico, orientado, de álcool. Em contraste, os países da costa do Mediterrâneo, como a Espanha, são tradicionalmente caracterizados por um consumo mais regular de baixas doses de álcool." "É importante examinar os efeitos do álcool no hipocampo, pois em estudos com animais, especialmente em ratos e macacos, esta região parece sensível aos efeitos neurotóxicos do álcool, e ela desempenha um papel fundamental na memória e aprendizado. Em outras palavras, o consumo excessivo de álcool pode afetar a memória de jovens adultos, o que pode prejudicar o seu dia a dia." O estudo, publicado na revista "Alcoholism: Clinical & Experimental Research", analisou 122 estudantes universitários espanhóis, com idades entre 18 a 20 anos. Eles foram divididos em dois grupos: os que beberam e os que se abstiveram. Foram então submetidos a uma avaliação neuropsicológica que incluiu recordar experiências visuais e verbais. "Nossa principal descoberta foi uma clara associação entre o consumo excessivo de álcool e a menor capacidade de aprender novas informações verbais em universitários saudáveis, mesmo após o controle de outras possíveis variáveis, como nível intelectual, histórico de distúrbios neurológicos ou psicopatológicos, uso de outras drogas, ou histórico familiar de alcoolismo", disse Parada. Fonte: Folha de S.Paulo - Online.

 

 

Registro de Blog

O poder da Musica.

Dec 7, '07 4:47 PM
para todos

A música e os Filhos de Caim
A música, no reino espiritual, tem a capacidade de invocar a um espírito. Ou invocarei o Espírito do Senhor, ou invocarei um espírito das trevas. Fomos chamados para a santidade, para sermos separados deste mundo. Não vou descer da montanha. Utilizar-me-ei da música para adorar ao meu Deus. 
A música e os Filhos de Caim

Triste vermos na Bíblia que, logo na primeira família existente na terra, a morte vem marcar sua presença, no assassinato de Abel por seu irmão Caim. É mais triste notar ainda o caminho que esses dois irmãos estavam trilhando: Abel, o caminho da fé, de uma vida voltada à adoração a Deus, enquanto Caim, o caminho da independência humana e do descompromisso com o Criador.

Mas o que eu quero tratar neste artigo refere-se a duas classes que os filhos de Adão deixaram-nos como herança espiritual: os filhos de Caim e os filhos de Set, e o destino que eles tomaram. Os cainitas representam aqueles que vivem para si mesmo, para o material, para o individualismo, enquanto os filhos de Set, que foi concedido para substituir a Abel, representam aqueles que não nasceram da água, nem da vontade da carne, mas para fazerem a vontade de Deus.

Notamos claramente que os filhos de Caim rapidinho aprenderam a desenvolver todo o tipo de obras da carne: perversões sexuais, violência, prazeres carnais, homicídios e muitos outros. Uma breve olhada em Gen. 4:8-24 e você verá que, sobre tudo aquilo que Paulo registra em Gal. 5:19-21, os cainitas já eram peritos. Mas o que me chama a atenção é o versículo 21 deste capítulo. Ele identifica Jabal como "o pai dos que tocam harpa e flauta". Vemos a primeira menção sobre a manifestação musical sendo aplicada aos filhos de Caim. Diante do quadro que o capítulo retrata destes homens, concluímos que a música que eles desenvolveram não era para a adoração. Vamos comparar o versículo 21 acima com um texto extraído de um livro apócrifo, chamado A Caverna dos Tesouros[1] :

" Jubal e Tubalcaim, dois irmãos e filhos de Lameque, o cego, o que havia matado Caim, praticavam toda espécie de música. Jubal construiu flautas, cítaras e pífaros. E os demônios  introduziram-se neles, e ali se instalaram. Quando eram sopradas, as flautas davam voz aos  demônios; e quando eles tangiam as cítaras, os demônios cantavam por elas. E Tubalcaim  construiu címbalos, matracas e tambores. E assim recrudescia a depravação dos filhos de Caim, bem como a sua devassidão, e de outra coisa nã se ocupavam a não ser da luxúria."  (Cap. XI, 3,4)

Vejam só a que ponto chegaram os filhos de Caim. Estavam num estágio tão grande de depravação que começaram a destruir e a deturpar tudo. A música, que tem a capacidade de enlevar a alma humana, era utilizada como meio de instigar os demônios e exaltar os poderes das trevas, alimentando ainda mais a devassidão daqueles homens. A música, se não for utilizada para glorificar a Deus, para nada serve. Ou a utilizamos para adorarmos ao Criador e a tudo ao que diz respeito ao seu reino, ou a utilizamos para simplesmente para proclamarmos o reino das trevas. Observemos, na atualidade, a que propósito tem servido as músicas produzidas secularmente. A propagação da sexualidade e da imoralidade, como é o exemplo do funk carioca e do axé music, a exaltação do adultério, em muitas músicas sertanejas, à banalização dos princípios morais, enfim, o mesmo propósito do texto citado acima: alimentar a corrupção e a depravação da alma humana.

E a igreja, está imune a isto? É inconcebível passar em nossas cabeças que este tipo corrupto de utilização da música possa estar presente dentro da igreja, local em que a música é tida como objeto de adoração ao Deus Altíssimo. Vejamos um outro texto extraído de A Caverna dos Tesouros:

"E reinava a impudícia entre os filhos de Caim; as mulheres corriam atrás dos homens  sem a menor vergonha e misturavam-se com eles numa orgia selvagem... Sopravam  as flautas em meio ao vozerio, tocavam as cítaras sob o influxo dos demônios,  percutiam os tambores e as matracas, em colaboração com os espíritos maus. E o ruído das gargalhadas elevavam-se nos ares, e foi ouvida no alto da Montanha Sagrada.  Quando os filhos de Set escutaram aquele poderoso vozerio e aquelas gargalhadas,  vindo do campo dos filhos de Caim, cem dentre eles, homens fortes e vigorosos,  reuniram-se e tomaram a resolução de descer até a área dos filhos de Caim".

Quero fazer um parêntese para esclarecer um detalhe: os filhos de Set, de acordo com o apócrifo, foram habitar em uma montanha muito alta, bem próxima ao Éden, cuja localização também era no cume de uma alta montanha, enquanto os filhos de Caim foram habitar nas planícies. E, após a morte de Adão, eles fizeram um pacto de que ninguém desceria da montanha e manteria qualquer relação com os cainitas. E isto durou por muito tempo, até o dia em que, uma nova geração começou a surgir e começaram a ter curiosidade de conhecer o povo que habitava as planícies. E levados pela curiosidade daquilo que acontecia na terra, mesmo contra a ordem dos patriarcas, alguns foram conhecer o que se passava no outro mundo.

Pensemos agora no quadro em que vivemos hoje. O mundo está da mesma forma em que estavam os filhos de Caim, totalmente dominado pelo desejo desenfreado de satisfazer a vontade da carne. E a igreja deve estar separada disto. Jesus nos chamou para a santificação, e isto é a diferença entre nós e a cultura secular. Mas muitos acabam avançando esta linha e querem conhecer o que está rolando lá fora. Na área musical é assim. Qualquer novidade que aparece, queremos conhecer, imitar, assimilar, sem, contudo verificarmos a procedência. Quando os filhos de Set resolveram conhecer aquele som que rolava lá embaixo, e que subia até a montanha em que estavam, comprometeram toda a sua descendência, pois, segundo a narração, eles desceram da montanha, um após o outro, e não retornaram mais, até não ficar mais ninguém habitando na Montanha Sagrada, apenas Noé. Filhos de Set e de Caim tornaram-se um só, unidos num grande jugo desigual.

Abandonar o caminho da santificação, em troca dos valores mundanos, é um caminho sem volta. A amizade do mundo é inimizade a Deus, diz o apóstolo João. Quantos filhos de Caim ocupam hoje os púlpitos de nossas igrejas! É triste afirmar isto, mas é verdade. São pessoas que sobem ao púlpito, ostentando belos instrumentos, ou belas roupas e uma bela voz, apenas para satisfazer a desejo carnal de estar em posição de destaque diante dos outros. Fazem as mesmas coisas que faziam os filhos de Caim. O mundo secular não serve de referência para nosso culto de adoração a Deus. Misturar o santo com o profano é comprometer toda a igreja com maldição. Lembremos o que aconteceu após a mistura dos filhos de Set com os filhos de Caim: a devassidão aumentou tanto que provocou a ira de Deus, a ponto de exterminar a humanidade com o dilúvio. Se não fosse Noé, um remanescente fiel, provavelmente eu não estaria aqui e você não estaria lendo este artigo.

Portanto, reflita bem sobre isto. A música, no reino espiritual, tem a capacidade de invocar a um espírito. Ou invocarei o Espírito do Senhor, ou invocarei um espírito das trevas.  Fomos chamados para a santidade, para sermos separados deste mundo. Não vou descer da montanha. Utilizar-me-ei da música para adorar ao meu Deus.

Deus o abençoe.

 

Presidente dos Gideões Missionários da Última Hora, pastor Cesino Bernardino é indicado ao prêmio Nobel

 

O título de apóstolo social se refere, entre outras coisas, aos projetos realizados no Haiti

 

Presidente dos Gideões Missionários da Última Hora, pastor Cesino Bernardino é indicado ao prêmio Nobel

O pastor Cesino Bernardino foi indicado ao prêmio Novel da Paz por sua luta “pela causa da família cristã” conforme revelou os pastores participantes do 29º Congresso Internacional de Missões dos Gideões Missionários da Última Hora onde foi anunciado a indicação.

Durante a solenidade para a entrega da placa representativa “Diploma de indicação ao Prêmio Nobel da Paz 2010/2011 como apóstolo social”. Entre os feitos que fizeram jus a indicação do Pastor, é citado a reconstrução do Haiti.

Pastor Cesino é o primeiro catarinense a ser indicado ao famoso galardão que já premiou Barack Obama, Nelson Mandela, Tenzin Gyatso (Dalai Lama), Madre Teresa de Calcutá, entre outros. Outro famoso líder evangélico brasileiro que já foi indicado ao Prêmio foi o Pastor Manuel Ferreira, da Igreja Assembléia de Deus de Madureira.

 

Confira o vídeo:

Fonte: Gospel Prime

 

 

Mistérios da Bíblia – Sodoma e Gomorra (Pt. 1)

john_martin_-_sodom_and_gomorrah

Sodoma e Gomorra são duas cidades citadas no Gênesis, descritas como lugares onde pecados terríveis contra Deus são cometidos e que ele em fúria acabou destruindo e matando todos que lá viviam.

imageR6LO que desperta a atenção sobre esse acontecimento é que poucas coisas são claras, primeiramente pela localização das cidades, por que não há como descobrir exatamente o local onde elas existiram apenas com o que a Bíblia diz. Em segundo lugar vêm os pecados, pois são descritos de maneira muito vaga. Para completar a grande questão que surge é: Existiram mesmo essas cidades? Ou são apenas ficção?

Todas essas questões ficaram sem repostas por anos, pois ninguém conseguia encontrar nenhum vestígio das tais cidades. E sem nenhuma prova concreta da existência delas tudo o que estava descrito na Bíblia não passava de boato.

Por que mesmo a maior destruição já vista na Terra não conseguiria apagar totalmente os vestígios de uma cidade murada, por maior que tenha sido a fúria de Deus, alguma prova desse acontecimento tinha que estar em algum lugar para provar tudo.

sodoma e gomorra

Felizmente em 1924 um arqueólogo descobriu as primeiras pistas que levariam até as cidades de Sodoma e Gomorra. Porém somente em 1967, quando uma escavação em uma área próxima ao Mar Morto se iniciou as cidades perdidas da Bíblia foram encontradas, dessa forma as perguntas que tanto faziam os estudiosos pensar poderiam ser respondidas.

Mistérios da Bíblia – Sodoma e Gomorra (Pt. 2)

images

Em 1967 os primeiros vestígios do que poderiam ser as cidades de Sodoma e Gomorra foram descobertos, fazendo com que os estudiosos da área começassem a investigar os materiais lá encontrados para que pudessem assim solucionar os mistérios que envolviam esses vilarejos e seu suposto fim descrito na Bíblia.

A primeira cidade encontrada pelos pesquisadores não se revelou o que todos esperavam, pois aparente o seu final não tinha envolvido fogo como conta o livro sagrado:

1

sodom_gomorrahNa verdade essa cidade a qual os arqueólogos descobriram provavelmente teve seu fim causado por um ataque inimigo, pois há vestígios de tais, como uma barricada na entrada da vila, marcas de fogo usadas para derrubar o portão de madeira, entre outras.

Quando a teoria de que Sodoma ou Gomorra haviam sido descobertas estava indo por água a abaixo, até que novas ruínas foram encontradas. E, para a alegria dos pesquisadores, claramente algo com muitas chamas havia feito com que aquela cidade tivesse seu fim decretado.

Mas com isso surgia uma questão: Como uma cidade naquela região foi destruída por chamas se não havia vulcão e ela era toda de pedra? Apesar de parecer algo inexplicável existe uma boa explicação, baseada em algo que aconteceu a outra cidade daquela época.

Na região próxima ao Mar Morto existem muitos bolsões de gás natural sob a terra e lá também é o local onde uma falha geologia passa. Isso torna o terreno extremamente instável e propenso a terremotos. Somando os tremores com o gás, cria-se um grande perigo, pois um terremoto pode romper um desses bolsões.

portal do inferno6[3]

Esse gás somado a tremores de terra significa perigo, pois um terremoto pequeno pode gerar um incêndio de proporções épicas, o que faria uma cidade inteira queimar em poucos minutos, matando todos seus moradores. E isso é o que todos os especialistas acreditam que ocorreu na segunda cidade, pois é a única explicação lógica e aceitável.

A Bíblia diz que as duas cidades forma destruídas pelo fogo, porém se o relato bíblico estiver contado à verdade, então as duas vilas ainda não foram encontradas, contudo se os dois locais investigados forem os mesmo citados no livro sagrado, quer dizer que houve um erro na descrição da história.

sodom-and-gomorrah

As cidades encontradas são Sodoma e Gomorra mesmo? Não se pode afirmar com certeza, mas se forem que dizer que a Bíblia esta errada no que aconteceu as duas. Caso essas não sejam, a questão inicial ainda fica: Onde estão essas cidades? Seria mesmo essa história real? Ou apenas uma parábola para mostrar o que acontece com pecadores?

Certezas não existem, a conclusão fica a sua escolha.

Mateus 22:1-14


Leia mais:

Então Jesus tornou a falar-lhes por parábolas, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de seu filho. Enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir. Depois enviou outros servos, ordenando: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado; os meus bois e cevados já estão mortos, e tudo está pronto; vinde às bodas. Eles, porém, não fazendo caso, foram, um para o seu campo, outro para o seu negócio; e os outros, apoderando-se dos servos, os ultrajaram e mataram. Mas o rei encolerizou-se; e enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade. Então disse aos seus servos: As bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos. Ide, pois, pelas encruzilhadas dos caminhos, e a quantos encontrardes, convidai-os para as bodas. E saíram aqueles servos pelos caminhos, e ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e encheu-se de convivas a sala nupcial. Mas, quando o rei entrou para ver os convivas, viu ali um homem que não trajava veste nupcial; e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui, sem teres veste nupcial? Ele, porém, emudeceu. Ordenou então o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes. Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos.